Da Nossa Casa à Nova Casa

A preocupação da existência de um local que permitisse o alojamento a antigas alunas residentes fora de Lisboa e que se empregassem ou se deslocassem à capital, está presente desde a fundação da AAAIO.

O grupo de AA que dinamizou a abertura do Lar optou pela escolha de um edifício que foi, em simultâneo, sede da AAAIO e do Lar: um palacete sito na Rua Dr. Alexandre Braga, nº 6, em Odivelas, que teve de ser sujeito a várias obras de adaptação. Desde a abertura do Lar, em 28 de Setembro de 1974, até hoje, estiveram sempre subjacentes os valores de solidariedade e fraternidade aprendidos no Instituto e a intenção de fazer com que cada residente se sinta estimada e protegida, motivo pelo qual se denominou aquele espaço “A Nossa Casa”.

As primeiras residentes formavam um pequeno grupo, algumas vindas do ultramar após a descolonização. Eram perfeitamente independentes e só a solidão ou as dificuldades financeiras as levaram a procurar abrigo na “Nossa Casa”. Todos os trabalhos relacionados com a limpeza das instalações, o tratamento de roupa e a alimentação eram assegurados por duas empregadas externas. Quando, porém, alguma destas residentes adoecia gravemente, ou o peso dos anos exigia maiores cuidados, surgia a necessidade de a transferir para um outro Lar. Esta situação tornou-se, a breve prazo, um grande constrangimento para a Direcção da época, o que impulsionou a criação de condições para que as residentes pudessem terminar os seus dias entre as amigas dos últimos anos da sua existência.

Em 1989 a AAAIO celebrou um acordo com a Segurança Social que lhe possibilitou tornar-se uma IPSS e desenvolver a valência Lar. Esta decisão permitiu ainda o aumento de capacidade para 25 residentes. A aprovação da candidatura ao projecto europeu “Pilar” facilitou a construção de novas instalações e o consequente aumento da capacidade de ocupação para 44 residentes, possibilitando o alargamento do universo de candidatos a ambos os géneros, incluindo membros da família militar (CM e IPE) e familiares de AA.

Durante o período de construção da “Nova Casa” (2004-2010), o Lar instalou-se no forte de S. João das Maias, edifício cedido pelo MDN. Concluídas as obras de reconstrução do edifício, no Quartel da Formação, ao Largo da Luz em Lisboa, o novo Lar foi oficialmente inaugurado no dia 14 de Janeiro de 2010, sendo as honras feitas pelo Presidente da República, Prof. Aníbal Cavaco Silva.

 

 

O Lar da AAAIO

A AAAIO é a responsável pela gestão do Lar Nova Casa.

Tratando-se de uma IPSS, respeita as características e as regras impostas pela Segurança Social neste âmbito, definindo como “Lar Nova Casa” a resposta social desenvolvida em alojamento colectivo, de utilização temporária ou permanente, para idosos em situação de maior perda de independência e/ou de autonomia.

São objectivos primordiais deste Lar:

- Proporcionar serviços permanentes e adequados à problemática biopsicossocial das pessoas idosas.

- Contribuir para a estabilização ou retardamento do processo de envelhecimento.

- Criar condições que permitam preservar e incentivar relações interpessoais com a família e a Comunidade.

- Garantir e respeitar a independência, a individualidade e a privacidade das/dos residentes.

 

Na Nova Casa as/os residentes são admitidos de acordo com uma lista de inscrições, com a seguinte ordem de prioridades: AA do Instituto de Odivelas, AA do Colégio Militar (CM) e AA do Instituto dos Pupilos do Exército (IPE), sócios das respectivas associações, familiares directos dos/as AA, antigos docentes e funcionários dos três Estabelecimentos Militares de Ensino, beneficiários do Instituto de Acção Social das Forças Armadas e beneficiários da Segurança Social.

A Nova Casa dispõe de espaços acolhedores tais como: duas salas de refeições, duas salas de convívio para residentes, quartos com capacidade total para 44 camas e um pequeno jardim. Os serviços de apoio distribuem-se por várias instalações (médicas, de enfermagem, de fisioterapia, administrativas) cozinha, lavandaria, rouparia, entre outros espaços.

 

Por inerência do cargo, a Direcção do Lar é assumida pela Presidente da AAAIO (actualmente Joaquina Cadete Phillimore).

A equipa técnica é constituída por 2 assistentes sociais e a equipa de saúde por 1 médico/a (a tempo parcial) e 3 enfermeiro/as.

A equipa de apoio inclui 20 ajudantes de acção directa, 3 auxiliares de serviços gerais, 1 cozinheira, 1 ajudante de cozinha, 1 motorista, 2 recepcionistas e 1 operadora de lavandaria.

O Lar conta ainda com os serviços prestados por 1 assistente administrativo e a valiosa ajuda de um grupo de voluntária/os, maioritariamente constituído por antigas alunas.

 

Se pretender obter mais informações ou conhecer-nos melhor, por favor, consulte os nossos serviços ou entre em contacto connosco.